segunda-feira, 25 de abril de 2011

Budapeste. "Um livro que nao gostei"

Budapeste - Chico Buarque
Companhia das Letras

Por que leu este livro?
Uma amiga minha me emprestou.

O livro é sobre...
O livro trata de um ghost-writer. Alguém que escreve o que outras pessoas assinam, artigos para jornal, discursos de autoridades, autobiografias e, no ápice, poemas. Um autor anônimo, um brilhante autor anônimo. É uma escrita meio misteriosa, sarcástica e de reflexão.

Pontos que mais gostou? 
Pois é, nao gostei. Achei a história confusa, e para todo mundo que eu conheço e que leu o livro achou o livro confuso. Achei uma enrolação de lugares, uma chateação para contar o cotidiano, uma rotina chata, sem vida e com personagens mais sem vida ainda.  Achei o livro enfadonho naquele monossílabo do personagem central.

O que achou mais interessante?
Achei interessante a parte quando ele aprende o idioma húngaro e até pensei que a partir dali a história fosse se infiltrar pelos becos das noites e trazer um bom romance. Mas o romance se perdeu.

Para quem indica?
Para quem é fã de Chico Buarque. Pois, certamente, vai discordar de mim. Mas eu o prefiro como cantor, compositor de músicas a autor.


Georgia Aegerter escritora do blog Saia Justa






6 comentários:

Cacá - José Cláudio disse...

Eu sou um admirador inconteste do Chico,mas concordo com você, Georgia. Acho-o muitíssimo melhor como compositor (quase inigualável na MPB). Já como romancista, a gente fica naquela expectativa que vai ser como o compositor e não é bem assim. Falta eu ler Leite Derramado, que dizem ser o melhor que ele escreveu até agora. Um abraço. paz e bem.

Fatima Cristina disse...

Oi Georgia,

Eu gostei muito do Budapeste. Entre ele e o Leite Derramado do Chico eu fico com o primeiro. É melhor escrito. É uma trama bem feita.
Mas acho também que o chico fez sucesso como escritor por ser o Chico Buarque já famoso.

Beijos!

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Então... eu amo Chico Buarque como compositor... mas como escritor o estilo dele não me atrai. Esse ainda não vi, comecei a ler Benjamim uma vez e também não gostei.

Lúcia Soares disse...

Oi, Georgia.
Não li e sou desinteressada mas acho que acabarei lendo, mais como curiosidade mesmo. Só ouço falar da confusão dele. O filme, parece-me, teve boas críticas. Não assisti também.
Chico é um compositor maravilhosos, sem dúvida. melhor que escritor, então.
Tenho um livro infantil dele, vi nessa arrumação que fiz da mudança, vou ver se o encontro e mostro. Não me lembro de ter lido, acho que comprei pra algum filho, trabalho de escola, não sei.
Enfim, ler Chico é no mínimo enriquecedor, até mesmo para não gostar da história em si.
Pelo menos prestigiamos os nossos, comprando seus livros, né?
Tomara que num próximo ele acerte a mão e nos surpreenda com uma bela história.
Beijos!

Marcia disse...

Georgia,
Concordo com você, o livro é chato. Porém o Leite Derramado consegue ser pior. Em Budapeste, há pelo menos uma tentativa de haver qualquer história, mas tudo sem muito sentido, não? Em Leite Derramado, ele optou por uma via do século XIX - e escreve as memórias de um velho sem memória - que delícia, não? É de doer, nem perca seu tempo! E parabéns pela coragem, gente na contramão da maioria é raridade no mundo real e virtual.
Marcia.

Enaldo disse...

Bom, eu acho o Chico Buarque chato em tudo, mas eu sei que é uma opinião isolada, rs...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...