sexta-feira, 10 de abril de 2009

Algum livro já mudou sua forma de encarar a vida?

O livro de hoje promete ajudar a mudar a sua vida em 12 semanas. Mas, sendo auto-ajuda ou não, alguns livros mexem com a gente e nos fazem enxergar a vida de outra maneira.
Por isso, aproveitando a dica de leitura da Ester, perguntamos: algum livro já mudou a sua forma de ver ou encarar a vida?
12 Semanas para mudar uma vida – Augusto Cury
245 páginas – Academia da Inteligência

Por que leu este livro?
Sou entusiasmada com as obras de Augusto Cury. Procuro ler tudo o que ele escreve, para mim é um dos maiores psicólogos da nossa geração.

O livro é sobre...
Um programa desenvolvido pelo autor com ferramentas psicológicas que contribuem para educar a emoção, vencer o estresse e prevenir a ansiedade, depressão e outros transtornos psíquicos. O programa chama-se PAIQ – Academia de Inteligência de Qualidade. Não é um programa qualquer, mas fruto de mais de 20 anos de pesquisa.

Pontos fracos?
A única coisa que lamento é o título do livro que não está a altura de seu conteúdo riquíssimo e que nos leva a achar que se trata de mais um livro de auto ajuda parecido com esses programinhas rápidos para emagrecer. É um livro científico e muito bem elaborado.

O que achou mais interessante?
A clareza e simplicidade com que o autor coloca seus princípios científicos fazendo com que as pessoas menos instruídas consigam entender. E o fato de ele conseguir analisar a vida ímpar de Jesus, colocando-o como exemplo a ser seguido, do ponto de vista médico e não religioso.

Para quem recomenda?
Para todas aquelas pessoas que desejam ter uma qualidade de vida melhor, que gostariam de aprender a serem líderes do seu próprio ‘eu’, a dominarem suas emoções e não serem dominadas por elas.

Que nota você dá?
10, naturalmente.

Ester Marques - http://esteranca.blogspot.com/

14 comentários:

Du disse...

Não gosto de livros de auto-ajuda, mas este fiquei com vontade de ler! :)

Beijos, bom feriado a todas!

€ster disse...

Eu também não, Du!rs

Este foi um verdadeiro achado para mim,
mas isso não implica que se foi bom para mim será bom para toda a humanidade,

acredito que será interessante para as pessoas que querem desenvolver um certo controle sobre suas emoções,
colocar o cérebro para funcionar em seu favor,
essas coisas..

Bom feriado para vc tb!

bjs,

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Eu gosto de uma auto-ajuda de vez em quando sim. Ahco que funciona meio que como uma pilula para ajudar anquelas situações em que a gente precisa de uma ajudinha.

Beijocas

Anônimo disse...

Ao contrário dos comentários anteriores, eu amo livros de auto-ajuda!
Para mim quanto melhor vc souber lidar com as suas emoções e problemas, tanto melhor será sua vida! Mais equilíbrio e seriedade!
Ah, e respondendo a pergunta: sim, li um livro chamado "Sempre em frente, de Roberto Shinyashiki, que mudou a minha forma de encarar a vida! Num momento de crise, consegui me levantar, a olhar para frente e encarar meus problemas! Foi como remédio!

Adorei a dica Ester! Já ouvi bons comentários sobre esse autor!
Beijos!

€ster disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Y. disse...

Tem alguns poucos livros de auto-ajuda que eu considero bem legais e que realmente funcionam! ^^

Parabéns pelo blog, indiquei um prêmio:
http://independenciacondicional.blogspot.com/2009/04/premio-dardos.html

Só pra registrar que é um blog bacana! ;D

bjs

bergilde disse...

Gosto muito do autor, li pais brilhantes,professores fascinantes e me serviu muito e essa dica agora em dias como hoje é bem propicio. Tentarei adquirir aqui.

Georgia disse...

Eu nao sou fa de auto ajuda nao.
Embora a Ester tenha feito uma ótima resenha. Talvez seja esse meu lado rebelde de nao gostar de ouvir conselhos, rs.

Eser obrgada pela dica. Valeu!

Vanessa disse...

Acabo de pedir este livro no Trocando Livros! Obrigada pela dica.

Georgia e Flávia, tem um presente para o blog no post de hoje.

Boa páscoa!

Adelino disse...

Ester, criou-se nas últimas décadas uma certa prevenção contra os livros de auto-ajuda. Não é a mesma coisa, mas o mesmo aconteceu com a famosa revista Seleções do Reader´s Digest (ainda em circulação), que publicava até livros condensados. A propósito, foi por ela que aprendi a ler, decifrando suas letrinhas miúdas.

Os livros de auto-ajuda ajudam sim (minhas desculpas, Georgia...) Muitas vezes aparentemente ensinam coisas óbvias, mas tem coisas óbvias que quando não escritas ou faladas passam despercebidas, não teem valor pra nós. É preciso que seja escrito, dito, falado mesmo.

Meus parabéns pelos comentários. Confesso que vou procurar a "sua indicação". Um abraço.

Cristiane Marino disse...

Também adoro as obras do Cury Ester, já li vários. Este ainda não, mas agora fiquei muito tentada a lê-lo.

Beijos

IdéiAs nO LiqUidiFicaDor!!! disse...

dois livros mecheram muito comigo, o primeiro foi Patty - o pulsar da vida e o outro O Caçador de Pipas, os dois me fizeram enchegar a vida por um outro prisma e dar muito valor nas amizades. Mas tbm não gosto de livros de auto-ajuda.

Mírian Mondon disse...

Fiquei curiosa Ester!
Em se tratando de auto-ajuda concordo com Stephen Covey, existe uma ética da personalidade, que é superficial e cheia de tecnicas band-aids para problemas profundos e existe uma ética do carater, que é mais profunda baseada em principios eternos.

Abraços

Mírian Mondon disse...

Fiquei curiosa Ester!
Em se tratando de auto-ajuda concordo com Stephen Covey, existe uma ética da personalidade, que é superficial e cheia de tecnicas band-aids para problemas profundos e existe uma ética do carater, que é mais profunda baseada em principios eternos.

Abraços

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...