quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Paula Pimenta - A escritora do mês!

No mês das crianças, não poderíamos deixar de ter uma entrevista especial!

Paula Pimenta não escreve para crianças, mas para adolescentes ou quem, como ela, já passou dessa fase, mas ainda adora um bom romance para meninas!

"Parei nos 16 anos de idade."

Seus livros são um sucesso entre as leitoras de chick lit e jovens de todo o Brasil.

Hoje, ela fala sobre a série: "Fazendo o meu filme" que já está indo para o
terceiro volume!



Com vocês: Paula Pimenta!

Como surgiu a idéia da série "Fazendo o meu filme"?
Em outubro de 2004, exatamente na noite do início de ‘horário de verão’, eu estava no computador e de repente tive a ideia de começar um livro falando exatamente sobre isso: Duas amigas que saíam, mas que tinham que voltar no horário imposto pelo pai de uma delas. Com o adiantar do relógio (devido o início do horário de verão), elas acabavam perdendo uma hora (mais tarde essa passagem acabou virando o segundo capítulo do livro). Quando comecei a escrever, eu não sabia o que viria, só mais tarde é que pensei no tema principal do livro e nas características de cada personagem.

A série é sobre uma adolescente que vê sua vida mudar quando surge a oportunidade de fazer intercâmbio cultural. No processo de preparação para a viagem, ela se apaixona e fica indecisa entre ir para o outro país, ou ficar no Brasil com seu grande amor.

Quais as dificuldades de escrever sobre este tema?
A maior dificuldade não é nem na escrita, mas sim no mercado literário atual. O que está em alta são os romances sobrenaturais e algumas pessoas acham que a vida de uma pessoa comum, que poderia ser qualquer um de nós, não é tão interessante como a de um personagem de fantasia.

Quais os pontos que considera positivos?
Por se tratar da história de uma personagem “normal”, muita coisa que ela (a protagonista) passa no livro, eu inspirei em minha própria vida e isso faz com que a narrativa soe muito mais real. Vários leitores me escrevem dizendo que gostaram dos livros exatamente por isso, por ser uma história que parece real, que poderia acontecer com qualquer pessoa. A protagonista não tem poderes mágicos, não namora um vampiro, não vai virar princesa... é uma menina como as outras.

Você escreve para adultos através de suas crônicas e poemas. Pretende escrever romances para adultos também?
Pretendo, sim! Inclusive já até comecei a escrever um livro para esse público, um romance sobre uma mulher que vê sua vida mudar por causa de um sonho. Só falta tempo para finalizá-lo...

Quais são seus sonhos como escritora?
Especialmente poder viver bem só com a remuneração dos meus livros. No Brasil é muito difícil um escritor não ter uma profissão paralela (no meu caso, sou professora de música). Aqui a gente tem uma mentalidade de que “o que é importado é melhor”. Então são poucas as pessoas que dão chance a autores nacionais. Além disso, a pirataria aqui é alta. Eu sempre peço para os meus leitores que não digitalizem os livros... Indiquem para os amigos, emprestem, dêem de presente... mas respeitem o direito autoral. Só quem é escritor no Brasil sabe como isso é difícil.

Para quem indica a série?
O público alvo são os adolescentes, mas já recebi e-mails de crianças pedindo mais livros do gênero e também de vários pais, que também leram e gostaram. Inclusive, uma leitora me escreveu dizendo que sua avó leu os livros e adorou! Eu indico para todas as pessoas que querem fazer uma viagem ao mundo adolescente e viver nas páginas do livro todos os sentimentos intensos típicos dessa fase da vida.



Gostou da entrevista da Paula Pimenta?
Conheça o site dela: http://www.paulapimenta.com/
Clique aqui e veja o vídeo da Paula cantando!

9 comentários:

Tucha disse...

Admiro que consegue um texto que agrade os adolescentes, formar leitores é importante, para que a moçada aprenda a gostar de ler textos de qualidade

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Eu estou com muita vontade de ler os livros da Paula!

Beijos

Camila Monteiro disse...

Nossa que legal essa entrevista!!! Adorei!

É verdade o que ela disse ali que as pessoas dao valor as coisas importadas!

Alguns deixam de conhecer coisas novas por conta disso e tem muita coisa boa por ai viu!!!

Ta na minha lista!
Beijos

Albuq disse...

HUm gostei demais, acho muito legal essa escrita para adolescente, porque focaliza num mundo de acordo com a fase deles, eles não precisam procurar livros a frente do que eles vivem.

Cíntia Mara disse...

Ah, que legal!!!

A Paula é uma fofa, tive o prazer de conhecê-la na bBienal do livro em BH e, provavelmente, estarei no lançamento de FMF3. Os dois primeiros livros são muito lindos, super recomendo. Eu acho muito mais interessantes os livros que falam da "vida de uma pessoa comum, que poderia ser qualquer um de nós". Foi uma delícia ler sobre a Fani, principalmente pela história se passar na minha cidade. Amo a série!

Beijos

Cacá disse...

Adorei a perspectiva dessa aautora. Eu também passo por algumas agruras semelhantes no meio do mercado literário. E gostei muito do tema do livro , que já vou dar um jeito de adquirir para a minha filha de 13 anos que gosta muito de ler (graças a Deus, rsrs.). Abraços, pessoal! Paz e bem.

Monica Loureiro disse...

Adorei a entrevista. Temos que estimular a compra e a troca de livros para estimularmos novos autores.

Cacá disse...

Olá! Voltei so para acrescentar um dado: a Paula, decobri que é de BH também. Assino um jornal (Hoje em Dia) e li agora há pouco uma matéria de pagina inteira com ela. Vai haver um lançamento aqui amanhã do livro 3 desta série. Vou lá e aproveitar para conhecê-la. rsrs. Abraços. paz e bem.

mari7 disse...

meu nome é marisete adorei seus livros como tambem a minha filha que agora esta nos EUA e junto esta o seu livro de sua cabeçeira.É de uma leitura cativante levando a nossa imaginação para cada palavra ,sem idade e sim com experiência de uma adolecente cativante beijos meus e de minha filha Flávinha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...