terça-feira, 15 de dezembro de 2009

DIA 15! Dia do homem do mês!!!


O nosso homem do mês nos apresenta algo muito especial!
A CONQUISTA DAS ESTRELAS E A VOLTA DOS MORTOS
Autor: Peter Hamilton

O livro é sobre...

Em um futuro remoto os homens conquistaram as estrelas, espalhando-se por galáxias e formando uma confederação que reúne os planetas colonizados pelos humanos e, também, os de outras raças, encontradas ao longo dos anos de expansão. A Terra, planeta mãe, continua sendo um dos centros dessa nova formação política, mas com imensos problemas, populacionais e de meio ambiente, o que leva à maciça emigração dos terráqueos, à procura de novos espaços e de novos mundos onde pretendem recomeçar, fazendo as coisas de forma diferente.

Este é o cenário básico para A Night Dawn, uma trilogia escrita pelo britânico Peter Hamilton, dividida em três volumes, que conta, de um lado, a expansão da humanidade, e de outro, os problemas que enfrenta ao fazê-la, até se deparar com um evento de ruptura: a descoberta que temos uma alma imortal, que o purgatório existe e que estas almas podem voltar ao mundo normal, invadindo e possuindo os corpos dos vivos. E neste caso, graças a uma disfunção da realidade – The Reality Dysfunction – que é o nome do primeiro volume, a possessão ocorre em vários planetas, subjugando milhões de humanos e causando uma guerra entre os possuídos e não possuídos, estes em busca da preservação do seu espaço de vida e da recuperação dos corpos possuídos, devolvendo-os aos seus legítimos donos, que não são mortos, mas subjugados pelos possessores.

Esta é uma longa trilogia, valeu a pena?

Sim! Já a partir da leitura do primeiro capítulo do primeiro livro. Agora, acabo de terminá-la e é por isso – e pelo convite feito pela Geórgia e a Flávia – que estou dizendo, aqui, o que estou lendo. Neste caso, mais uma vez, transformo-me em um “bendito entre as mulheres”.

Embora não seja “ela”, sinto-me honrado com esta segunda participação no blog. E mais ainda por trazer aqui um autor que, acho, poucos conhecem, e falar de um assunto que não é muito comum entre as leituras da maioria, que é a ficção científica.

Além de não ser, pelo menos no Brasil, um dos assuntos mais populares, a leitura da trilogia traz um outro desafio, que é o fato de os livros estarem em inglês. Cheguei a procurar, mas não encontrei edições em português. No Brasil, com certeza, elas não foram lançados.

Para quem recomenda?

Para quem lê inglês, interessa-se pela especulação de como será o futuro, de como construiremos nosso espaço na Terra e vê a possibilidade de os humanos, um dia, chegarem às estrelas, garanto que é uma leitura agradável e muito interessante. Não consegui parar de ler!.

O que achou mais interessante?

Usando o futuro como cenário, nela estão inseridos assuntos como a ecologia e a forma como tratamos o planeta, com os impactos que estamos causando e que consequências elas podem trazer.

Outra discussão é a função da possessão dos vivos pelos mortos há todo um pano de fundo filosófico, não só em relação à crença em uma outra vida, mas sobretudo na reafirmação, a partir da ruptura da realidade e do aparecimento das almas “perdidas”, da existência – comprovada – de que os humanos – e não só eles, mas os seres sencientes – têm mesmo uma alma e que o purgatório existe. A partir desta descoberta fica a questão de como podemos nos tratar sabendo da existência da alma e buscando descobrir o que faz com que uma fiquem no purgatório enquanto outras não.

Será que existe um paraíso? Será que estas almas estão mesmo no purgatório? Não estarão elas no inferno? Qual o papel das religiões nesta hora? As questões são colocadas de um modo prático, mas passam, também, através de vários personagens, por uma funda reflexão filosófica.

O dilema religioso fornece um dos contextos para o desenvolvimento da obra.

Sei que o tamanho da trilogia, quase 3,5 mil páginas, assusta e pode desanimar. O que posso garantir é que a leitura é ótima e que temos um final surpreendente. Ele, de qualquer modo, não encerra as discussões feitas ao longo do livro, mas esclarece alguns pontos, pelo menos na ótica do autor e de seus personagens. Foi uma leitura longa e muito agradável. O que o inglês Peter Hamilton fez foi construir uma nova realidade, avançando no futuro.E para realizar sua obra fez um esforço fenomenal de criação. O assunto é original, a abordagem também o é e a visão de futuro que ele traz nos dá esperança de que, um dia, conquistemos as estrelas e o faremos em paz. Recomendo. E tenho certeza de quem se aventurar pela leitura irá gostar.

Lino Resende

3 comentários:

mitti disse...

A cada dia que passa, vejo que preciso aprender inglês.

Muito bacana a trilogia. Acho que isso tá na moda agora né?

Ou sempre existiu..eu que não reparava???

bjoka

Bia Mendonça disse...

Muito legal essa resenha! Nunca tinha ouvido falar do autor ou dos livros, e apesar de não curtir muito trilogias, me interesse pelo assunto e pelo menos nesse caso todos os livros já foram lançandos! :)

bjs

Georgia disse...

Eu nao sou muito ligada em trilogia, porque me dá idéia de novela, ter que ficar presa. Mas se o assunto é bom e vale a pena entao até arrisco.
Lino, este eu ainda nao ouvi falar, vou ver se tem em alemao. Com certeza deve ter.

Valeu a dica e obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...