segunda-feira, 6 de abril de 2009

Meu nome é vermelho

Meu nome é vermelho - Orhan Pamuk
536 páginas - Editora: Companhia das Letras
Gênero: Literatura estrangeira, romance, best seller

Por que leu este livro?
Foi até engraçado. Eu estava comentando com uma colega de trabalho sobre os últimos livros que eu havia lido quando ela me falou que tinha um livro na gaveta, que comprou e não conseguiu ler de tão ruim que achou pelos primeiros capítulos.
Fiquei curiosa porque nunca tinha ouvido falar do livro e pedi emprestado. Qual foi a minha surpresa quando comecei a ler e não conseguia mais largar, de tão fascinante que achei.

O livro é sobre....
O livro alia narrativa policial, história de amor proibida e reflexões sobre as culturas do Ocidente e do Oriente. A trama se passa em Istambul, no fim do século XVI.
Para comemorar o primeiro milênio da Hégira (a fuga de Maomé para Meca), o sultão encomenda um livro que representasse a riqueza do Império Otomano, que naquele momento vivia seu apogeu.
Para provar a superioridade do mundo islâmico, porém, as imagens deveriam ser feitas com as novíssimas técnicas de perspectiva da Itália renascentista. As intenções secretas do sultão logo dão margem a especulações, desencadeando uma onda de intrigas que culmina no assassinato de um dos artistas que trabalhava nas iluminuras do livro.
Ao mesmo tempo, desenrola-se o caso de amor entre o Negro, artesão que voltara a Istambul após doze anos de ausência, e a bela Shekure. Construída por dezenove narradores -entre eles um cachorro, um cadáver e o pigmento cuja cor dá nome ao livro -, a história surpreende pela exuberância estilística, que reflete o encontro de duas culturas.

Pontos fracos?
Talvez não fosse necessário contar tantas histórias dentro da mesma história (quem ler vai entender). A linguagem arcaica e um pouco embrulhada para olhos ocidentais pode não atrair à primeira vista. Mas vale a pena perseverar.

O que achou mais interessante?
A forma como a história é contada.Quem seria capaz de fazer o Diabo, a Moeda, a Morte, a Árvore, o Vermelho, a Mulher, o Cavalo e o Cachorro falarem na primeira pessoa? Adquirirem corpo e alma?


Todo o livro, aliás, é dividido em capítulos narrados na primeira pessoa. O escritor se diverte assumindo várias personalidades. Máscaras, metamorfoses, peles. Cada personagem com sua visão de mundo. Ou apenas seu mundo e sua clausura .


É preciso fôlego , competência, vidência e ousadia para transformar tudo isso em palavras. E que palavras! O livro todo é poema em prosa. Nunca tinha lido nada parecido.

Para quem recomenda?
Para todos os apaixonados pela leitura de um bom livro.

Que nota você dá?
Näo poderia qualificar com menos que "excelente" este livro maravilhoso, escrito de uma forma original e cativante. Realmente imperdível, um dos livros mais marcantes que li recentemente! Dou nota 10, com certeza.




14 comentários:

Du disse...

Obrigada pela oportunidade, meninas! Eu adorei participar deste mundo literário que vocês criaram aqui.

Beijos!

Natalia disse...

Nossa, adorei a proposta do blog!
Super interessante, viu :)

To pensando em participar também ;)

Pedrita disse...

esse autor é maravilhoso! não é à toa que ganhou nobel de literatura. esse eu não conhecia, vou procurar. não li muitos detalhes sobre o livro que quero ler antes. bela resenha. parabéns. beijos, pedrita

Cristiane disse...

Eu não conheço o autor, mas fica aqui uma boa dica de leitura!!!
Beijão Du!

Na. disse...

É engraçado como é questão de gosto, uma engavetou logo, a outra devorou! rsrs Essa resenha me deixou curiosa pra ler esse livro! Vai entrar pra minha lista!

Xerus
=***

dalva disse...

OI...Amei este blog e já estou acompanhando!
Eu tambem li "Meu nome é vermelho". É uma história fascinante, mas do meio pro fim, fica um pouco cansativo.Ah! Me apaixonei pelo Vermelho! O estilo me lembrou "A menina que roubava livros"que também é um bom livro de leitura mais fácil.
Beijos

Tucha disse...

O livro lhe inspirou a escrever um comentário inteligente que nos deixou curisosas para le-lo.

luzdeluma disse...

Uau!! O livro todo poema em prosa? Olha, que dificuldade deve ter sido escrever, merece ser lido!! Anotada a dica!! Beijus

Georgia disse...

Du, que resenha maravilhosa a sua, muito bem escrita, mas sem contar a trama mesmo do livro.

Parabéns! E obrigada pela participacao.

Já quando recebi a resenha fiquei com olhos brilhantes sobre o livro, pois sua resenha me dispertou muita curiosidade.

Um abraco e valeu!

Ciça Donner disse...

Du, eu to com implicancia com esse cara. Consegui terminar Neve com muuuito sacrifício. Acho que nao vou investir nesse nao... MAS, se cair na minha mao... ehhehe

.moony. disse...

adoro escrever com vários narradores (dois ou três, mas não taaantos assim! xD), são tantas possibilidades! então creio que um livro que abuse disso tb deva ser interessante :D
teh +
o/*

Juliana Freitas disse...

Que máximo esse blog!!!
Muito, muito bom mesmo!
Vou adicionar lá no meu!

olhodopombo disse...

Nossa achei este livro simplesmente maravilhoso, quando comecei so consegui parar quando terminei!e li do mesmo autor:
O Castelo Branco e Neve....

olhodopombo disse...

Istambul,
este eh o livro para ser lido no feriadão,
do Orhan Pamuk!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...