segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS

A menina que roubava livros - Markus Zusak
500 páginas - Bertrand Brasil
Gênero: Romance, LIter. estrangeira

Por que leu este livro?
Escolhi pelo título curioso e intigrante e pela frase da contra-capa: "Quando a Morte conta uma história, você deve parar para ler." Impossível resistir!

O livro é sobre...
A narrativa é feita pela Morte. A Morte conta a história de Liesel Memimger, uma menina que vivia numa cidade próxima a Munique, durante o período da II Guerra Mundial, quando Hitler dominava a Alemanha. O livro traz vários personagens em destaque: um judeu que é escondido em seu porão e seu melhor amigo e namorado, que interagem com Liesel durante suas aventuras, roubando livros. E, é através do conhecimento e das palavras que ela nortea sua vida, transformada diariamente pela guerra.

Pontos fracos?
Não encontrei

O que achou mais interessante?
É interessante porque retrata a visão das criança diante da guerra. Mostra também como era a realidade naquela época na Alemanha, um país tão afetado pela época e pelos conflitos diários gerados entre os nazistas, comunistas e judeus. Mostra como era a vida (difícil) daquele cidadão comum, que lutava apenas para sobreviver diante das poucas escolhas que tinha perante o governo tirano.

Para quem recomenda?
Recomendo aos que gostam de ficção baseada em fatos reais que marcaram a história. A menina que roubava livros juntamente com O menino de pijama listrados retratam perfeitamente a Alemanha nazista de 1940, baseados em personagens que te envolvem e encantam.

Que nota você dá?
10, sem dúvida.

Renata - http://mundominucia.blogspot.com/





15 comentários:

Dalva disse...

Este livro foi um dos melhores que li ultimamente. Uma estória muito bem contada, refletindo a dor e a estupidez da guerra, e ao mesmo tempo cheia de personagens sensíveis.

Bjs.

Bia disse...

Eu li o "menino do pijama listrado" e gostei mto! Mas essa da "menina que roubava livros" ainda ainda não consegui "entrar" na historia. Pelo menos o inicio eu não estou achando assim tão irresistivel..
bjos

Cláudia Farias disse...

Olá,
Gostei muito deste blog e fiz o link no meu.
Dá uma passadinha por lá.
Este fim de semana fui a casa de minha sogra e ela irá começar a ler este livro.
Queria muito ler também.
bjs

Nade disse...

Com toda certeza, um dos melhores livros de ficção dos últimos tempos. Principalmente porque tem um pouco de História contada por outro lado. Confesso que sempre achei os alemães um tanto frio e sem graça, mas a estória fez eu enxergar um outro lado. Só pelo fato de mostrar o sofrimento de uma menina em plena Alemanha Hitlerista sem perder o charme de ser uma estória pela própria Morte... Quer convite de leitura melhor? rsrsrs
Simplesmente, fantástico!
E um detalhe: este livro me fez chorar de tão emocionada que fiquei com as últimas palavras... E olha que eu leio!
Bjs

Georgia disse...

Bia, concordo com você: O livro nao é tudo isso nao.Eu também tive a mesma dificuldade que você em me entrosar com esta estória. Eu tentei umas 3 vezes lê-lo e nao conseguia. Me parecia que as frases no livro eram todas sem um ritmo, como se ele tivesse ouvido essas frases e as anotou e as escreveu secamente. Na quarta vez resolvi lê-lo e nao decidi parar. Confesso que me envolvi e que dei muitas risadas das traquinagens dessa menina. Mas, o livro termina com todos os seus personagens mortos e nao somente pela guerra. E foi isso que eu nao gostei. O livro nao passa uma mensagem positiva de vida, mesmo que ela tenha sobrevivido a guerra. O que ele poderia ter escrito pelo menos um pouquinho da estória da menina que roubava livros após a guerra e isso ele nao faz. A estória foi boa, mas nem tanto assim, a meu ver faltou muita coisa ainda, mas as pessoas estao em busca de algo que aconteceu nessa guerra, seja ela o que for.
O livro só teve todo esse sucesso pela novidade de ser a "morte" quem narra a estória e o personagem principal ser uma menina. Por que se fosse um outro narrador, ele nao teria tido sucesso nao, só seria mais um autor escrevendo sobre esse período.

Um abraco

Kall disse...

Que bom poder ler esse post ..uma amiga ganhou esse livro começou a ler mais disse que desistiu pq é cansativo rs
Mas lendo o post e os comentários vejo que é o contrario...bom saber.
Bjoss

Vivi Bastos disse...

Bom, para mim é uma história essencial. Sei que ele exerce um impacto diferente em cada um, mas, vale a pena dar-lhe uma chance.;)

Beijos
Vivi

Vanessa disse...

Adorei a dica, estou com este livro aqui na fila para ler! Obrigada, Renata!

Mariel disse...

Li esse licro recentemente e adorei! Ótima dica ;)

Val disse...

Oi
Acabei de conhecer este Blog, estou amando.. quero muito ler este livro, e fiquei mais curiosa ainda rss

bjos

Chris disse...

Eu amei esse livro. Li com muita vontade, aliás, boa hora pra reler.

Bjs...

Adelino disse...

Renata, eu era criança durante a Segunda Guerra Mundial. Não obstante isso, eu observava a apreensão das famílias, das noivas, das namoradas, com medo de que suas pessoas queridas fossem convocados para a Guerra. Vi e vivi os racionamentos, os blackouts, as incertezas, tudo sempre maximizado pela fértil imaginação de criança. Mas eu estava no Brasil, longe dos campos de batalha. Imagine uma criança vivendo na Alemanha naquele período tão difícil para a Humanidade.
Interessei-me pelo livro.
Um abraço.

*Renata disse...

Oi Adelino,

Vc tem blog?

Nadja Saori disse...

Gostei muito deste livro!!!Trata daqueles alemães que não eram nazistas, nao eram judeus, mas eram apenas alemàes, procurando viver... achei muito interessante do inicio ao fim, a narrativa é cativante, e vc quase pode esquecer que há uma guerra no ar... vivendo as peripecias da menina...

MUITO bom !

anamaria disse...

Gostei muito do livro pois não vitimiza judeus nem alemães. Amor aos livros e estupidez da guerra são as mensagens. Adorei seu blog e já o favoritei. Bjs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...