quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Anna Kariênina

Livro: Anna Kariênina
Editora: Cosac Naify
816 páginas (ufa!)
Tradução e notas: Rubens Figueiredo

Por que leu este livro?

Porque estou trabalhando em uma série no meu blog"Na Linha", chamada de "Os oponentes". Este livro faz parte da segunda etapa da série (na primeira, abordei apenas Jane Austen). Nesta segunda, o tema é: "Entre quatro paredes, o oponente como marido". Já escrevi sobre vários "maridos-opoentes": Bentinho, de Dom Casmurro, Chales Bovary, de Madame Bovary, Torvald Helmer, de A Casa de Bonecas, e agora estou escrevendo sobre Jorge, de O primo Basílio (que ainda não postei) e, logo a seguir, vou fazer o post sobre o marido de Anna, Alekséi Aleksándrovich Karenin.

O livro é sobre...

A história básica é sobre uma aristocrata que se torna adúltera na Moscou do século XIX, abandona marido e filho para viver com seu amante, tem uma filha com este, tenta em vão se divorciar e obter a guarda do filho e tem um fim muito triste - mas claro que com oitocentas páginas TEM MUITO MAIS CALDO, né? O livro é também sobre a situação da Rússia na época, um retrato sobre as diferentes classes sociais e suas motivações, a decadência da aristocracia frente a uma crescente burguesia, sobre a oposição entre campo e cidade, é sobre o amor puro e verdadeiro contra a paixão avassaladora, sobre o homem, a humanidade e, PRINCIPALMENTE, sobre o amor e suas reverberações na alma e na vida humanas.

O que achou mais interessante?

Como ele consegue de modo franco, direto e claro dizer tudo o que tem que dizer (vide acima) sem confundir o leitor, guiando este para que ele de fato entre na história e participe de todos os detalhes dela. Olha só o começo genial:

“Todas as famílias felizes se parecem, cada família infeliz é infeliz à sua maneira.”

Pontos fracos?

Não consigo pensar em nenhum, ainda não saí de dentro deste livro. Estou caminhando em Ipanema e, de repente, estou vendo conde Vrónsky e Anna passeando de braços dados - ela esplêndida em um lindo vestido preto de seda com véu de renda sobre o rosto, ou Kitty patinando no gelo da praça Nossa Senhora da Paz sendo observada por Liévin...

Para quem indica? Para toda a humanidade, exceto as pessoas sem imaginação.


Nota? Mil.

Blog Na Linha

10 comentários:

Pedrita disse...

esse livro é fantástico. beijos, pedrita

Claudia Magnólia disse...

sou doida para ler esse livro! beijos

Georgia disse...

Eu vi o filme, mas nao li o livro. Todo mundo fala que é muito bom.

Aliás eu tenho uma amiga que se chama assim por causa desse romance.

Valeu!

apenasumavez disse...

Gosto muito desse tipo de romance de época. Não vi o filme, mas acredito que tanto ele como o livro sejam sim, ótimos. E é um super livro grande hein!?

beijos

Amica Philosophiae disse...

Eu estou doida pra ler esse livro! Está na fila para 2011!!
Valeu a dica.
bjo!

Eliane Pechim disse...

Um dos meus livros preferidos. Na verdade, recomendo a todos a leitura dos escritores russos do século XIX, como Dostoievski, Gorki e Turgueniev, alguns sendo dos mais importantes escritores da história da literatura mundial. Ótima dica!

Verdadeira Diva - Carol disse...

Meu cantinho está em festa. Dois anos de blog. E vc faz parte desta conquista. Passe por lá e pegue o selinho. Obrigada pelo carinho. Beijos da Diva!

Bonequinha de Luxo disse...

Meninas, saudades de vocês!!!Este livro é maravilhoso, bjs, Va.

Cacá - José Cláudio disse...

Eu li esse livro ainda bem jovem e tem alguns que me impressionaram muito . Esse é um deles. Por tudo o que você citou muito bem e pela ambientação histórica, que na época me levava a querer conhecer tudo sobre a Rússia. Obrigado pela bela resenha. Deu até vontade de ler novamente. Abraços. Paz e bem.

Verdadeira Diva - Carol disse...

Queridaaaa, me ajuda? rsrs... Tem uma enquete la no blog? Será que poderia votar por favor?? Obrigadaa... Beijossss.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...