segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O Filho Eterno

O Filho Eterno – Cristovão Tezza
222 páginas - Editora – Record
Gênero - Romance

Por que leu este livro?
Porque conhecia o autor, meu colega da área de Literatura.
Porque o livro já tinha recebido cinco prêmios literários (agora já ganhou mais um): Prêmio Portugal Telecom 2008, Prêmio São Paulo de Literatura – melhor Livro do ano 2008, Prêmio Jabuti – melhor Romance 2008, Prêmio Bravo! 2008 e Prêmio APCA 2007.

E porque uma grande amiga tem um filho com Síndrome de Down e acompanhei de perto o difícil processo de aceitação do bebê pela família.

O livro é sobre...
Basicamente, é o relato de um pai jovem diante do nascimento do primeiro filho – com Síndrome de Down – numa época em que ela não era diagnosticada durante a gravidez e quando existiam muitos tabus e pouco auxílio às famílias e às crianças.

Versa também sobre a dificuldade,imensa, de um escritor ver publicados seus primeiros trabalhos, quando é ainda um desconhecido neste mundo editorial.

O que achou mais interessante?
A coragem e a ousadia do autor, confessamente autobiográfico no livro, de relatar exatamente os pensamentos iniciais e a estupefação diante de uma criança com uma necessidade especial tão grave e definitiva.

Sem dourar a pílula, ou fazer uso dos discursos politicamente corretos que as pessoas costumam usar, ele manifesta suas dores, sua frustração, sua revolta com palavras duras e exatas, mais características da linguagem de um pai e de um homem.

Pontos fracos?
A parte “literária” propriamente dita torna-se difícil e maçante para quem só quer saber do tema central do livro. As divagações, os cortes, as reminiscências quebram um pouco o ritmo da leitura mais objetiva.

A questão da crueza no tratamento da síndrome também pode desagradar algumas pessoas.

Para quem indica?
Em primeiro lugar, para quem gosta de ler. Depois, para quem tem curiosidade ou interesse nas necessidades especiais do ser humano.

Finalmente, para quem escreve ou gosta de escrever e ainda está pagando suas edições e quase perdendo a esperança de ver seus textos publicados.

De um a dez, qual nota você dá?
Oito, sem dúvida.

Maria Luiza Vargas Ramos - http://cinquentinhas.blogspot.com

7 comentários:

Pedrita disse...

eu me sinto sempre péssima de ainda não ter lido nada do cristovão tezza. beijos, pedrita

Sonhos & melodias disse...

Estou lendo esse livro e confesso que está difícil. Não porque o escritor escreva mal, pelo contrário. Mas a força das emoções que encontro nele, os conflitos que o personagem central enfrenta são tão doloridos que me cansa e preciso parar. Mas vou até o fim da história e sei que no final direi: uau! que livro! Não é a toa que o autor tem ganho vários prêmios. Eu também recomendo.
Bjs

sonia a. mascaro disse...

Há tempos tenho vontade de ler esse livro... Sei que o autor escreve muito bem, pois tenho lido muito sobre ele nos jornais.
Gostei da sua resenha.

sonia a. mascaro disse...

Tenho o link do site dele, que é interessante, com entrevistas, textos, etc. Link aqui: Cristovão Tezza.

Alessandra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alessandra disse...

No começo do livro fiquei um pouco apreensiva, a cada meia dúzia de páginas parava para refletir, me colocar no lugar da personagem.
Ainda não terminei a leitura, mas até então estou gostando muito, só gostaria que ele falasse mais da relação pai-filho, mas sempre que acontece ele divaga mais um tanto...

Georgia disse...

Eu nunca li nada desse autor, mas fiquei curiosa com esta resenha.

Valeu.

Abracos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...